Produtores rurais cobram melhorias mais uma vez

Insatisfeitos com o serviço prestado pela Enel Distribuição Goiás, produtores rurais e comerciantes fizeram protesto ontem em frente à sede da empresa em Goiânia. Na manifestação, o grupo cobrou mais diálogo com os clientes e pediu que, caso os problemas de falta de energia não sejam solucionados, a empresa deixe de prestar serviço no Estado. Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o deputado federal José Mário Schreiner (DEM) disse que os produtores estão desacreditados em relação à Enel.
"Fizemos esta manifestação hoje e outras virão. Este é só o início. Na semana passada, já aconteceram outras no interior e vai continuar. A situação é insustentável. Imagine o que é ficar mais de dez dias sem energia. É preciso tomar uma providência, inclusive com a empresa encontrando outro lugar, não em Goiás", disse Schreiner. Ele avalia que, após dois anos em Goiás, o serviço da Enel piorou em relação ao que era prestado pela Celg D. "A Enel tem impedido o crescimento e geração de empregos e riquezas em Goiás."

O presidente da Federação do Comércio de Goiás (Fecomércio), Marcelo Baiocchi, destacou, durante a manifestação, que a qualidade do serviço prestado pela Enel regula o trabalho do setor produtivo. "Pode ser indutor de crescimento ou de quebradeira geral no comércio, na indústria e para o produtor rural", disse.

Segundo o acordo firmado entre a diretoria da Enel Brasil e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a distribuidora tem até a próxima semana para apresentar um plano emergencial de resgate de qualidade para ser aplicado no Estado.

Entretanto, Baiocchi questiona a demora para solucionar o problema. "Qual é este plano que, depois de dois anos, a empresa vai apresentar só agora? Será que ela esperou o estrangulamento do fornecimento para falar que precisa de emergência?"

Distribuidora

Por meio de nota, a Enel Distribuição Goiás informou que tem se reunido com representantes da Faeg e produtores rurais, principalmente, da região sudoeste do Estado, para discutir sobre os trabalhos que estão sendo realizados e necessidades dos clientes. A companhia reforçou que respeita a manifestação e continua aberta ao diálogo. "A Enel tem compromisso com consumidores de Goiás e tem trabalhado para a melhora constante da qualidade do fornecimento de energia no Estado", diz a nota.

A empresa esclareceu ainda que os índices de qualidade, fiscalizados pela Aneel, já apresentam melhorias, tendo a duração média das interrupções do fornecimento de energia reduzido em cerca de 6 horas em dezembro de 2018, em relação ao mesmo período do ano anterior. O valor, segundo a empresa, é o melhor desde dezembro de 2011. Em relação à frequência média de interrupções, a empresa afirma que o dado de 2018 é o melhor da história da companhia.

Fonte: O popular

Comunicação Sistema Faeg Senar