Faeg defende suspensão de Decisão Judicial – Defensivos Agrícolas

A Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás, ( FAEG) vem requerer o apoio urgente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para reverter a suspensão da comercialização e do uso de defensivos agrícolas à base de Glifosato, Abamectina e Tiram.

Na última sexta-feira (3 de agosto), a juíza federal substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura, da 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, suspendeu a comercialização e o uso de agroquímicos à base dos ingredientes ativos em questão até que seja concluído o processo de reavaliação toxicológica. Suspendeu também o registro dos demais produtos em tramitação no MAPA.

Ressaltamos que os defensivos são indispensáveis no combate às plantas daninhas nas lavouras em todo o país, especialmente neste início de safra.

Com a publicação da decisão judicial, o país, especialmente Goiás, terá o desenvolvimento da sua safra de grãos, que está em início de plantio e preparação, seriamente comprometida. Somos um dos maiores produtores de Soja do País  e esses defensivos são imprescindíveis para o desenvolvimento da cultura.

Sem esses produtos, toda a cadeia produtiva pecuária será prejudicada, pois os grãos compõem a ração dos rebanhos, implicando a diminuição da oferta de alimentos e o aumento imediato nos preços. A queda nas exportações, especialmente de soja, também poderá ser observada.

É urgente a revogação da decisão judicial para a manutenção da atividade, fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país.

Atenciosamente,

Bartolomeu Braz – Presidente em exercício do Sistema Faeg Senar 

Texto: Fabiane Fagundes

Imagens: Banco de imagens