Leite: custo de produção subiu mais de 9% na comparação anual

As altas nos preços dos alimentos energéticos, com destaque para o milho, produtos para sanidade e combustíveis elevaram os custos de produção em fevereiro

Os custos de produção da pecuária leiteira tiveram novo aumento em fevereiro, na comparação mensal. Segundo o indicador calculado pela Scot Consultoria a alta foi de 0,8%. O volume divulgado pela consultoria é 9,4% maior quando comparado com o mesmo período do ano passado.

As altas dos preços dos alimentos energéticos, com destaque para o milho, dos suplementos minerais, dos produtos para sanidade e dos combustíveis/lubrificantes elevaram os custos de produção em fevereiro.

Nova call to action

A revisão para baixo da estimativa de produção de milho de primeira safra e as incertezas com relação ao clima foram os fatores que pesaram sobre as cotações do cereal.

Importações no primeiro bimestre 

O ano começou com as importações em alta, acompanhando o movimento observado no segundo semestre de 2018. Na comparação mensal as importações brasileiras de lácteos tiveram incremento 32,7% no volume em janeiro de 2019 em relação a dezembro de 2018, também segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Os gastos também cresceram, 36,9%, somando US$42,55 milhões. O principal produto comprado no período foi o leite em pó. O Brasil adquiriu, 9,1 mil toneladas, num total de US$24,57 milhões.

Os maiores fornecedores, em valor, foram a Argentina e o Uruguai, com 62,4% e 22,7%, respectivamente. Na comparação ano a ano, o volume de leite em pó cresceu 63,2% e os gastos foram 52,6% maiores.

A queda do dólar frente ao real e a valorização dos produtos lácteos e da matéria-prima, leite cru, no mercado brasileiro, colaboraram para o cenário. No parcial de fevereiro de 2019, até a quarta semana, a média diária foi de US$2,73 milhões em gastos com as importações de lácteos, aumento de 38,5% em relação a janeiro e 46,7% mais em relação a igual período do ano passado.

Com relação as exportações, em janeiro, os embarques brasileiros diminuíram na comparação mês a mês. O volume exportado reduziu 36,5% e o faturamento caiu 20,2% frente a dezembro último.

Na comparação com igual período de 2018, houve uma queda de 17,4% no volume embarcado. O faturamento caiu 15,9%. O principal produto exportado foi o leite em pó. A balança comercial brasileira de lácteos registrou déficit de US$38,08 milhões em janeiro de 2019.

Foto: Divulgação 

Fonte:Canal Rural

Comunicação Sistema Faeg/ Senar