CNA promove encontro para ampliar a participação da liderança feminina no agro

Para debater temas que impactam a agropecuária e divulgar as ações que impulsionam o desenvolvimento do setor, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou, na terça (21), a segunda reunião do Grupo de Trabalho das Mulheres do Agro, em Brasília.

O objetivo do grupo é promover a ampliação da participação de lideranças femininas no setor agropecuário. Ao abrir o evento, o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, reforçou a importância de disseminar as informações sobre as iniciativas realizadas pelo Sistema CNA/Senar/ Instituto e Federações para fortalecer o setor rural brasileiro. “Existem temas e reformas importantes em tramitação e que afetam o setor agropecuário. Por isso, precisamos ter porta-vozes na ponta que realmente tenham conteúdo para participarem de discussões qualificadas nesses pontos, em defesa do setor agropecuário”, afirmou.

As integrantes do Grupo de Trabalho assistiram às apresentações sobre a atuação da assessoria técnica na defesa dos produtores rurais, informações sobre os projetos de leis prioritários que interferem no agro e temas tributários que estão em discussão no país. Durante o encontro, os participantes conheceram as ações da assessoria jurídica da Confederação realizadas em 2018 e neste ano em defesa do setor rural. Também foram abordadas as propostas para o Plano Agrícola e Pecuário 2019/2020.

Também foram apresentadas iniciativas da área internacional voltadas para fomentar projetos de empreendedorismo feminino. A superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, reforçou que as políticas de ampliação da participação feminina é uma das tendências em países desenvolvidos. “A participação feminina em empresas privadas e no governo impacta diretamente no aumento do índice de desenvolvimento econômico de países que promovem ações de inserção feminina nas diversas áreas. Como setor que tem melhor desempenho econômico no Brasil, o agro tem potencial para contribuir muito com essas ações”, observou.

Lígia citou como exemplo a rodada de negócios realizada pela CNA durante o Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio. “Em 2018, tivemos bons resultados ao trazer compradores internacionais para negociarem com lideranças femininas. Neste ano, vamos repetir essa rodada durante o evento que ocorrerá em outubro, em São Paulo”, finalizou.

Os trabalhos foram conduzidos pela coordenadora administrativa da Superintendência Técnica da CNA, Cecília Naves. Também fizeram apresentações o chefe da assessoria jurídica da CNA, Rudy Ferraz; a superintendente técnica adjunta da CNA, Natália Fernandes; o consultor especial da presidência da CNA, Nilson Leitão; o coordenador do Núcleo Econômico da CNA, Renato Conchon; a assessora técnica da Comissão de Política Agrícola da CNA, Fernanda Schwantes, e as assessores de relações internacionais da CNA, Layanne Vasconcelos e Amanda Prado.

Assessoria de Comunicação CNA

Fotos: Tony Oliveira

Comunicação Sistema Faeg/ Senar