Produtores rurais podem lucrar com preservação de área ambiental

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), debateu nesta terça (14 /08), os Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA).  A intenção é desenvolver e implantar a valoração dos serviços ambientais. Assim os produtores rurais que preservam áreas com potenciais ecossistêmicos podem ser remunerados.

O evento em Brasília, reuniu produtores rurais, pesquisadores, formadores de opinião, responsáveis por políticas públicas entre outros. Foram apresentados modelos de projetos já implantados, fontes de financiamento e como ter um pagamento por serviço ambiental.

O PSA pode trazer uma gama de formas de pagamento ao produtor rural, desde dinheiro, até vantagens fiscais ou construção de benfeitorias na propriedade. A discussão do tema na CNA foi pensada para esclarecer que é preciso uma estrutura bem definida e com um sistema de monitoramento eficiente para atingir os objetivos.


“A utilização do PSA promove a melhoria da condição socioeconômica de diversos grupos, principalmente os mais vulneráveis, além de ser um mecanismo de conservação e proteção dos recursos naturais, ” avalia o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Raimundo Deusdará.

Para o PSA funcionar é  preciso que  produtores rurais ou donos de terras queiram preservar áreas ambientais. Além dos compradores que irão se beneficiar do serviço de preservação:  ONGs, empresas privadas e poder público. Também podem se beneficiar empresas que buscam melhorar a imagem ou mesmo  pessoas que queiram diminuir os impactos das ações do dia a dia.

Informações e imagens: CNA