Novos números da safra de grãos

Na manhã desta terça-feira (11) a Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB divulgou seu 12º Levantamento da Safra de Grãos, trazendo sua última atualização dos números referentes a Safra 2017/18, que está praticamente sendo encerrada em todo país. A companhia estima que o Brasil produziu nesta safra um volume total de 228,33 milhões de toneladas de grãos, o que representa uma queda de 3,9% em relação ao resultado obtido na safra anterior.

A queda no volume produzido neste ano ocorreu principalmente em função da menor produção de milho, produto que registrou reduções tanto em sua área plantada quanto na produtividade média das lavouras. No milho verão, ou primeira safra, a produção registrou 3,64 milhões de toneladas a menos do que em 2017, enquanto na safrinha a queda foi de 12,83 milhões de toneladas. Impactado pelos atrasos na chegada das chuvas no Centro-Oeste em outubro de 2017, o cultivo de soja foi realizado mais tardiamente, o que limitou a janela de plantio do milho safrinha realizada em sucessão à oleaginosa, o que influenciou a redução de 4,6% na área total cultivada com o cereal na segunda safra.


O clima adverso durante parte do desenvolvimento das lavouras de milho reduziu o potencial produtivo da cultura, o que resultou numa queda de 15,2% na produtividade média em relação a safrinha anterior. A escassez de chuvas entre os meses de abril e maio deste ano, período em que algumas regiões ficaram até 30 dias sem ocorrência de precipitações, derrubou a produtividade em alguns importantes estados, com efeitos mais severos no Paraná e no Mato Grosso do Sul. 

Já a soja, principal cultivo agrícola nacional, registrou uma safra muito positiva. A área plantada apresentou crescimento de 3,7% em relação à safra anterior, superando 35 milhões de hectares cultivados no país. A produtividade média neste ano foi recorde, chegando a 3.394 quilogramas por hectare, o equivalente a 56,5 sacas por hectare. Com isso a produção total da oleaginosa alcançou 119,28 milhões de toneladas, alta de 4,6% em relação ao montante colhido em 2017.

Entre os demais produtos nacionais, destaque para o crescimento da produção de algodão (+31%), de sorgo (+14,5%) e de girassol (+37,1%). Assim como ocorrido no milho, a produção também registrou queda no arroz (-2,1%) e no feijão (-8,3%).