Senar Goiás: Peste Suína Africana e o mercado brasileiro

A peste suína africana (PSA)  já contaminou 1 milhão de porcos na china. Por causa disso, em abril, o Brasil vendeu 44,%  mais carne de porco  em relação ao mesmo período do ano passado, segundo associação brasileira de proteína animal. A doença é altamente contagiosa, mas não acomete o homem, sendo exclusiva de suídeos domésticos e asselvajados (javalis e cruzamentos com suínos domésticos).

O Brasil possui um sistema de vigilância das síndromes hemorrágicas o qual inclui a realização de testes laboratoriais para PSA como diagnóstico diferencial de Peste Suína Clássica (PSC). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) está implementando cuidados nas fronteiras e na importação de produtos agrícolas e alimentos de países onde a PSA está ocorrendo.

Saiba mais sobre a interferência dessa doença no mercado brasileiro de suínos na entrevista de Samantha Andrade, coordenadora técnica do Senar Goiás.


Informações: Canal Rural

Imagens: Divulgação

Comunicação Sistema Faeg/Senar