Sistema Faeg e Semad entregam outorgas de direito de uso dos recursos hídricos e licenças ambientais

Numa ação conjunta o Sistema Faeg/Senar, composto pela Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás), Sindicatos Rurais e Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás- (Ifag) e a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (SEMAD) entregaram 200 outorgas de direito de uso dos recursos hídricos e 60 licenças ambientais a produtores que foram representados por sete municípios, no auditório da Faeg, nessa sexta-feira (07).

 

As ações desenvolvidas em prol do meio ambiente e da produção agropecuária sustentável em Goiás foram os destaques do encontro que contou também com a participação do Batalhão Florestal do Corpo de Bombeiros e do Comando de Policiamento Ambiental da Polícia Militar, juntos em mais uma iniciativa promovida pelo Sistema.

 

O vice-presidente institucional do Sistema Faeg/Senar, Eduardo Veras de Araújo enfatizou a importância da divulgação dos resultados em prol do meio ambiente. “A casa do produtor rural agradece a cada trabalho desempenhado pelos representantes aqui, e gostaria de cumprimentar a Secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás, Andréa Vulcanis porque reconhecemos esta gestão diferenciada. É uma honra sediar um evento desses, pois é importante para a Faeg, em respeito ao produtor rural,” afirmou o vice-presidente.

 

Ainda durante sua fala, ele citou o Programa Juntos pelo Araguaia onde esteve presente com centenas de produtores nos municípios. O objetivo é conscientizá-los sobre a questão da revitalização da bacia hidrográfica. “Queremos ampliar os projetos de preservação e recuperação, e este está sendo reconhecido tanto nacionalmente quanto internacionalmente,” frisou Eduardo Veras.

 

Ações desenvolvidas pelo Sistema Faeg/Senar em benefício do desenvolvimento sustentável em Goiás

 

O diretor técnico do Senar Goiás, Marcelo Lessa Medeiros Bezerra foi o responsável por difundir sobre os programas do Sistema que envolvem principalmente a educação ambiental. “Quero compartilhar o que cada entidade está fazendo aqui porque muitos executam atividades pelo meio ambiente, porém não conhecemos o que cada um faz. Desenvolvemos trabalhos de assistência técnica com atendimento a mais de 4 mil produtores, cursos e treinamentos, além de trabalharmos práticas sustentáveis visando mitigar os impactos ambientais, principalmente a redução do gás de efeito estufa,” contou Lessa.

 

Os destaques da sua palestra identificaram o programa nacional ABC Cerrado cujo projeto no Senar dissemina práticas de agricultura de baixa emissão de carbono e sensibiliza o produtor rural para que invista na sua propriedade para obter retorno econômico, preservando assim o meio ambiente. “O resultado para o produtor rural é visível. Nossa intenção é aumentar a eficiência tecnológica para produzir com maior aplicabilidade. O produtor rural tem feito muito pelo meio ambiente, afinal, as áreas preservadas estão no interior da propriedade,” declarou o diretor técnico.

 

Ele apresentou o Sistema com toda orientação técnica onde o produtor os procura para abraçar a causa e participar das capacitações. “Temos programas e serviços como a proteção de nascentes, as matas ciliares. O programa Agrinho também visa essa orientação com componente ambiental para as crianças. Já envolvemos mais de 100 mil produtores,” explicou.

 

Apresentações do Corpo de Bombeiros, Policiamento Ambiental e SEMAD

No evento foram realizadas apresentações pela preservação do meio ambiente. Representando o Corpo de Bombeiros, o Tenente Coronel, Tiago Dias Coelho, que é coordenador geral da Operação Cerrado Vivo ministrou de forma didática como eles têm contribuído com a sociedade através das atividades preventivas. “Temos feito um trabalho a fim de minimizar os incêndios porque eles podem ser evitados. Diante de um estudo foram identificados que 69% deles são cometidos por incendiários,” contou o tenente coronel do Corpo de Bombeiros.

As medidas protetivas de preservação do meio ambiente citadas por ele são referentes ao investimento, às ferramentas, educação, o não utilização do fogo orientando-se pela condição 30-30-30 (temperatura, umidade e vento), a substituição gradativa do uso de fogo, a roçagem – construção dos aceiros com manutenção das estradas, brigadas florestais, o combate rápido e principalmente a união que faz a força. O Tenente Coronel, Francisco de Assis Jubé, comandante de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) retratou sobre as ações do Comando com uma nova visão de proteção ao meio ambiente.

“O meio ambiente não é só Cerrado. Nosso ambiente aqui é importante também. Atuamos com o fortalecimento de política de fiscalização ambiental e urbana. Devemos estabelecer canais de comunicação e serviços pela segurança do produtor rural com ações de educação ambiental. As nossas ações culturais e ecológicas fazem a diferença desde que possamos contar com a integração dos parceiros,” observou ele.

A superintendente executiva de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da SEMAD, Cosette Xavier da Silva conta com uma equipe técnica ciente do papel no estado de Goiás e abordou as várias ações desenvolvidas nos cinco meses de gestão. “O objetivo é ser uma instituição colaborativa na agroindústria e agropecuária. Queremos auxiliá-los a recuperar as áreas e orientá-los através de programas que busquem a manutenção da qualidade do meio ambiente. Devemos encontrar um mecanismo de ser sustentável para sobrevivermos no nosso planeta; exemplo, ter uma água com qualidade. E uma produção com valor agregado, de qualidade, que os atenda e faça a proteção do meio ambiente como um todo,” explicou Cosette.

A entrega das outorgas e licenças

O presidente do Sistema Faeg/Senar, deputado federal, José Mário Schreiner participou da entrega das outorgas e licenças parabenizando todos os produtores que percorreram um longo trecho na conquista pela responsabilidade ambiental. “Quero cumprimentar à todas as autoridades, representantes e os que estão recebendo as outorgas para fazer com que nossos municípios, estado e país possam crescer. Estamos encerrando a Semana do Meio Ambiente, que foi  de trabalho intenso lembrando que o produtor tem encarado a relação do desenvolvimento econômico e tem se sensibilizado pela recuperação do leito do nosso maior rio, que é o Araguaia,” disse.

O projeto citado por ele estima um envolvimento de todos porque o rio merece cuidado e zelo. “Trata-se de uma questão ambiental, de preservação. O rio Araguaia é nosso patrimônio ambiental e turístico. Estamos felizes em encerrar essa Semana de forma positiva, sensível, olhando a produção, a preservação e gerações futuras. Podemos fazer muito pelo meio ambiente andando de mãos dadas observando um futuro melhor. E que em 2020 possamos comemorar a preservação e produção sustentável,” ressaltou o presidente José Mário