*Plano safra 2020/21 reduz taxa de juros e eleva volume totais de recursos em R$ 15 bilhões*

O plano agrícola pecuário (PAP) é o documento que conduz grande parte das diretrizes da política agropecuária brasileira em determinado ano agrícola. Neste ano, em especial, tal plano é ainda mais importante, frente a situação de pandemia da Covid-19, que impactou todos os setores da economia e baixa na taxa de juros do macro cenário econômico brasileiro.

Neste cenário, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou na última quarta-feira (17) o Plano Safra 2020/21, que trouxe um aumento no volume de recursos e redução na taxa de juros, além da disponibilização de maiores recursos ao seguro agrícola e ao apoio à comercialização.
 
Todas as finalidade e programas do crédito rural tiveram redução em suas taxas de juros, com destaque para o crédito de custeio, para produtores que não se enquadram no Pronaf e Pronamp, que teve os juros reduzidos em dois pontos percentuais, sendo operacionalizado na safra 2020/21 a uma taxa de 6% a.a. 

Em relação aos recursos, considerando todas as modalidades e tipo de financiamentos, o crédito e o seguro rural, contarão com um valor de aproximadamente R$ 240 bilhões, ou seja, R$ 15 bilhões a mais que no último ano agrícola.

De forma geral, o plano atende as expectativas do setor em termos de maior volume de recursos a uma taxa de juros menor, apesar do setor ter solicitado percentuais de juros menores. Acompanhe a análise completa do PAP 2020/21 feito pelo Ifag no link abaixo:
Comunicação Sistema Faeg/Senar