Mesmo com ligeira recuperação do preço do leite produtor deve ficar atento à gestão

Do final do ano passado até o início de 2022, muitos produtores de leite abandonaram a atividade diante da queda do preço do produto e alta dos insumos. Por outro lado, aqueles que são acompanhados pela Assistência Técnica e Gerencial do Senar Goiás  (ATeG), conseguiram passar pela crise e agora entraram num cenário um pouco mais estável.

No entanto, é  importante que o pecuarista  tenha a real noção de receita e da despesa da propriedade. Agora, por exemplo, o produtor que recebeu R$2,13  lá em janeiro, vai receber em maio cerca de R$2,50. Esses 37 centavos não podem ser considerados como lucro. O aumento de 17%,  no preço do litro do leite,  não se equipara ao reajuste do custo de produção. Por isso é importante a assistência técnica do Senar Goiás. 

O técnico de campo vai até a propriedade, analisa o custo de ração, mostra possibilidades para reduzir o gasto, verifica se a raça do gado atende bem, oferece opção de melhoramento genético. De acordo com o perfil, se busca a melhoria.  É uma mudança de visão aliada à tendência do mercado futuro. Veja mais na entrevista do gerente de Assistência Técnica e Gerencial do Senar Goiás, Guilherme Bizinoto.


Comunicacao Sistema Faeg/Senar/Ifag