Balança Comercial: fevereiro/21 registra superávit ante fevereiro/20

O Ministério da Economia divulgou hoje os resultados preliminares da balança comercial de fevereiro/21. Até a 3º semana do mês, comparado a fevereiro/2020, as exportações cresceram 1,5% e somaram US$ 11,42 bilhões. Quando comparado ao mês anterior, o crescimento foi de 5,7%, mas déficit de -0,92 bilhões. Já as importações cresceram 17,1% e totalizaram US$ 11,21 bilhões. Assim, a balança comercial registrou superávit de US$ 0,21 bilhões. 

A agropecuária registrou queda de -25,3% nas exportações, totalizando US$ 1,38 bilhões. Já nas importações, o setor teve 11%, correspondendo a R$ 0,27 bilhões.  

Segundo a pasta, a expansão das exportações foi puxada, principalmente, pelo crescimento nas vendas dos seguintes produtos: Milho não moído, exceto milho doce (204,6%), Café não torrado (13,0%) e Algodão em bruto (48,2%), Açúcares e melaços (40,4%), Farelos de soja e outros alimentos para animais (excluídos cereais não moídos), farinhas de carnes e outros animais (111,0%) Minérios também colaboraram com a cifra.  

Já os seguintes produtos agropecuários registraram queda nos embarques: Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos (-47,5%), Soja (-60,1%) e Lã e pelos em bruto (-63,0%) A soja, por outro lado, teve um aumento de 487,3% nas importações.  

Nas importações agrícolas, o movimento foi influenciado pela ampliação das compras dos seguintes produtos: Milho não moído, exceto milho doce (300,0%), Cacau em bruto ou torrado (26,2%) e Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (36,1%). Adubos ou fertilizantes químicos (exceto fertilizantes brutos) também registraram aumento nas compras: 75,3% a mais de embarques de fora para o Brasil.

Fonte: Comunicação Sistema Faeg Senar