Senar Goiás: a tradição dos remédios naturais

Através do curso Identificação e Processamento Caseiro de Plantas Medicinais, oferecido pelo Senar Goiás, é possível aprender de forma segura a preparar formulações fitoterápicas, artesanalmente. Saiba mais no link.

 

Dica de vó


Dores estomacais, refluxo, gastrite, úlcera e outros problemas gastrointestinais são desconfortos quase sempre relatados por pessoas em uma época de tantas incertezas como a que vivemos nos dias de hoje. Saiba que, muitas vezes, essas doenças podem ser desencadeadas por fatores como angústia, medo e ansiedade. Pesquisas apontam que o tratamento auxiliar, utilizando uma planta bem popular, pode ajudar na cura dessas e outras doenças ligadas aos problemas gástricos. É a Espinheira Santa (Maytenushicifolia), que em forma de chá auxilia no processo de cura dessas enfermidades, visto que existem relatos literários do seu uso há vários anos.

É utilizada, também, no auxílio ao tratamento da “Helicobacterpylori”, conhecida como “H. pylori” - uma bactéria que acomete a mucosa do estômago e é de difícil controle. Se não tratada, pode ocasionar úlceras pépticas, alguns tipos de gastrite e até câncer no estômago.

Mas o que torna essa planta tão eficiente? Os fitoquímicos presentes na Espinheira Santa são responsáveis pelas suas atividades biológicas no organismo humano. Com poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago, por controlar a produção de ácido clorídrico no órgão, funciona ainda como poderoso antisséptico por paralisar as fermentações gastrointestinais. Como dizia minha avó: “saiba como usar de forma segura esse ‘santo remédio’”.

Porém, atenção: mesmo com toda a ação digestiva, cicatrizante, anti-inflamatória e protetora da mucosa gástrica, o médico deve sempre ser consultado para avaliar o benefício da inclusão da espinheira santa como tratamento auxiliar dessas doenças.

 

Chá de Espinheira Santa

Indicações: Gastrite, úlcera gástrica, refluxo, antisséptico, cicatrizante, diurético e combate a dores

Partes Usadas: Folha (Infusão ou cápsulas)

Doses: São recomendadas até três xícaras ao dia, antes das principais refeições

 

Para fazer o chá

Infusão: 

Ferva 500 ml de água

Junto à água ainda quente, 30 g de folhas picadas misture e deixe esfriar

 

Indicação de uso:

Coar e tomar 150 ml do chá, de 2 a 3 vezes dia, antes das principais refeições

Se possível, utilize sempre a erva fresca e natural para o preparo do chá, caso não encontre, as folhas desidratadas podem ser encontradas em casas especializadas e farmácias de manipulação

 

Contra indicação: Não pode ser utilizado por gestantes, nem lactentes ou pessoas com histórico de hipersensibilidade e alergia a Maytenusilicifolia Mart.


Imagem: Divulgação

 

Comunicação Sistema Faeg/Senar