Setor agropecuário lidera a criação de empregos no mês de julho em Goiás

Com saldo positivo de 1.167 empregos criados em julho, o setor agropecuário goiano ocupa novamente a primeira posição no ranking de geração de novos postos de trabalho em Goiás. Somados todos os setores – extrativismo mineral, indústria de transformação, serviços industriais de utilidade pública, construção civil, comércio, serviços, administração pública e agropecuária -, o Estado registrou saldo positivo de 2.644 novos empregos em julho, ocupando a 6ª posição no ranking nacional, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e classificados de acordo com CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas).  

Entre os municípios goianos que mais contribuíram para as estatísticas positivas, Cristalina está em primeiro lugar com a criação de 1.550 novos postos de trabalho em julho. O município é um dos principais polos agrícolas do Estado de Goiás. Em segundo aparece Caldas Novas, com 334 empregos criados, e em terceiro Aparecida de Goiânia, com 332. 

Acumulado
O Caged revelou ainda que de janeiro a julho deste ano, o saldo geral de empregos em Goiás foi de 31.005 novas vagas. A agropecuária – que envolve agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura – está em segundo lugar na criação de novos postos de trabalho em 2019, com 10.029 vagas, enquanto Serviços ocupa a primeira posição, com 10.549. Entre os municípios que registraram maiores índices de criação de postos de trabalho no Estado neste ano estão Cristalina (3.374), Goiânia (2.890), Rio Verde (2.136), Goianésia (1,502) e Anápolis (1.119). No caso de Cristalina, Rio Verde e Goianésia, o maior impacto se deve à agropecuária. 

De acordo com o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, apesar do setor agropecuário ser sazonal, ou seja, de acordo com períodos do ano ou safra, os números revelam que o segmento continua sendo um dos principais impulsionadores da economia do Estado. “O agro possibilita a criação de emprego e renda e contribui para movimentar a economia nas cidades goianas, favorecendo até mesmo outras cadeias econômicas, como serviços, comércios e indústrias. É um setor que traz benefícios para quem vive no campo e para aqueles que estão nas cidades”, destaca.



Ranking nacional 
Criação de emprego no Brasil/julho
1º - São Paulo – 20.204 novos postos de trabalho
2º - Minas Gerais – 10.609
3º - Mato Grosso – 4.169
4º - Santa Catarina – 3.433
5º - Pará – 2.998
6º - Goiás – 2.644

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa)

Foto: Unsplash.