CNA reúne Polícias Militares para debater segurança rural

 A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), por meio de seu Instituto, reuniu presidentes de federações de agricultura, especialistas em segurança pública e oficiais das Polícias Militares nos estados para debater propostas para o desenvolvimento do policiamento rural no Brasil. A videoconferência aconteceu na quarta (18).

Os profissionais da corporação de 24 estados e do Distrito Federal compartilharam experiências, práticas bem-sucedidas de policiamento no campo e ações conjuntas desenvolvidas após a realização de três painéis de segurança rural organizados pelo Instituto CNA em 2019.

“A CNA desenvolve diversas ações para auxiliar o poder público na criação de políticas publicas de segurança no meio rural. Uma delas é a integração entre as polícias militares e força de segurança do Brasil, que tem demonstrado inúmeros resultados positivos”, destacou o coordenador administrativo do Instituto CNA, Carlos Frederico Ribeiro.

As atividades foram conduzidas pelo consultor de segurança da CNA, Carlos Marsiglia. “Reconhecemos o esforço dos representantes das polícias militares que integram essa rede e desde o princípio reconheceram a importância da segurança rural para o setor agropecuário e para a economia brasileira”. 

Para 2021,estão previstas  algumas ações relevantes inspiradas em modelos de sucesso já implantados que contribuirão com a  elaboração de uma operação nacional de policiamento rural. O assessor jurídico da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) e presidente CONSEG-Rural, Augusto César Andrade participou da  reunião online. O Programa Patrulha Rural desenvolvido através de parceria entre a Faeg e a Polícia Militar de Goiás, recentemente ampliado no estado, se tornou referencia para todo o país.

“Promovemos a integração com a comunidade e o uso da tecnologia nas operações e rondas rurais. Nosso slogan é PM e Comunidade na Corrente do Bem. Com isso temos a oportunidade de interagir intensamente com o agronegócio e proteger os produtores rurais”, afirmou o Tenente Coronel Robson Correia Pacheco.

O coordenador-geral de políticas para as Instituições de Segurança Pública da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Jahir Lobo Rodrigues, participou do evento. “Estamos à disposição para colaborar com as medidas de proteção desse setor”.

A reunião online também contou com a participação dos presidentes das federações de agricultura e pecuária de Alagoas, Álvaro Arthur Lopes de Almeida; do Ceará, Flávio Saboya; do Espírito Santo, Júlio Rocha; do Rio de Janeiro, Rodolfo Tavares; da Paraíba, Mário Borba; de Rondônia, Hélio Dias; de Pernambuco, Pio Guerra; do vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do estado de São Paulo, Tirso Meirelles, e dos superintendentes do Senar/MT, Francisco Pugliesi, e do Senar/DF, Kelly Cristina Costa do Nascimento.

Os participantes ainda conheceram um sistema de rastreamento de insumos agrícolas, que foi apresentado pelo gerente de combate a produtos ilegais da Crop Life Brasil, Nilto Mendes.  Já o ex-comandante-geral da PMDF, Marcos Antônio Nunes, expôs os benefícios de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Assessoria de Comunicação CNA