Bolsa Brasileira teve leves recuos nos preços futuros do milho, analisa Ifag

Os preços internacionais do milho futuro voltaram a subir na Bolsa de Mercadorias e Futuros de Chicago (Cbot), na última quarta-feira. Já na Bolsa Brasileira (B3), o milho voltou a sentir a pressão da colheita da segunda safra no país, e teve leves recuos nos preços negociados. Por volta das 11h49 no horário de Brasília, em relação ao dia anterior, o setembro de 2021 caiu 0,66%, novembro de 2021 perdeu 0,35%, janeiro de 2022 caiu 0,49% e março de 2022 queda 0,21% nos valores da Bolsa.

 A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul) divulgou seu Boletim Semanal da Casa Rural e relatou que a colheita avançou cerca de 10,5% nos últimos 7 dias. No campo, observou produtividades com rendimentos de 100 sc/ha até rendimentos baixíssimos, chegando a 8 sc/ha. E as avaliações da qualidade das colheitas continuam as mesmas da semana passada, com 1% em boas condições, 36% regulares e 63% ruins. Além disso apontou uma estiagem vivida na semana passada até agora, a qual beneficiou a colheita dos grãos.

Fonte: Ifag

Comunicação Sistema Faeg/Senar/Ifag