Ifag: alimentação do gado lidera custos apontados no Índice de Insumos para a Produção de Leite Cru Em Goiás

Proposta vem como Instrumento para medir a variação dos preços dos principais insumos que compõem o custo de produção do pecuarista de Leite de Goiás 


Na primeira publicação do Índice de Insumos para a Produção de Leite Cru em Goiás –ILC, do mês de Agosto/2021, calculado pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás-Ifag, o gasto com a alimentação foi o que mais impactou na variação do índice para o produtor de leite do estado.

O destaque foi, em primeiro lugar, para o suplemento mineral que aumentou de julho para agosto/2021 em 10,96%. Na sequência, vem o volumoso que aumentou 2,52% e o concentrado que aumentou 0,99%.

Na metodologia de cálculo do índice, esses três grupos de insumos têm peso de 80,52% no cálculo do ILC. Altamente significativo. A adubação de pastagem também teve um aumento de 3,24%. Energia elétrica, não teve variação no período e o óleo diesel teve uma pequena queda de 0,15%.

“Esse levantamento feito pelo Ifag, contribuirá para um trabalho mais assertivo na programação e planejamento dos custos e investimentos no setor. O material vem ainda para auxiliar os pecuaristas no processo de negociação de preços com as indústrias de laticínios, explica Edson Novaes, Diretor Executivo do Ifag.

O ILC será calculado mensalmente pelo Ifag e divulgado até o 5º dia útil após o final do mês de referência do índice. O resultado será obtido a partir da variação dos preços dos principais insumos que compõem o custo de produção dos produtores de leite de Goiás.

O relatório tem como base metodológica o trabalho já realizado pela Embrapa Gado de Leite, que realiza esse trabalho desde 2006 em MG e também estudo realizado em mais de 2.045 propriedades que foram atendidas pela Assistência Técnica e Gerencial do SENAR/AR-GO, no ano de 2020, em 145 municípios.

Foram definidos os principais grupos de insumos e os seus respectivos pesos, utilizados para a ponderação do cálculo do ILC. Eles retrataram o percentual que cada insumo teve na estrutura do custo operacional efetivo (COE) das propriedades analisadas, no respectivo período.


Outras publicações do Ifag, estão disponíveis: http://ifag.org.br/ilc/

Comunicação Sistema Faeg/Senar/Ifag