Entidades se adequam à nova realidade para realização de exposições pecuárias em 2021

Promotores de exposições apostam em novos formatos de eventos e em medidas que tragam segurança aos participantes contra a Covid-19

De maneira geral, o agronegócio superou a grande parte das dificuldades impostas pela pandemia, com números satisfatórios, especialmente para exportações de alguns produtos, como, carne bovina e açúcar, por exemplo. No entanto, diferente dos leilões, que tiveram um 2020 positivo, as exposições pecuárias foram fortemente atingidas pelas restrições sanitárias. A maior parte dos eventos foram cancelados, criando um cenário de incerteza para criadores e selecionadores de diversas raças bovinas.

A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ANCB) foi uma das mais prejudicas pela impossibilidade de realização das exposições. Por ano, a entidade costumava realizar até 80 eventos. Em 2020, apenas dez delas foram realizadas, devido às restrições impostas pela Covid-19.

“2020 foi um ano difícil para os pecuaristas que participam de exposições, pois se faz um investimento muito para manter um animal na baia. O criador só assume esse gasto se tem a certeza de que seu animal irá participar dos eventos. Ninguém sabia a duração da pandemia e como ela afetaria o nosso setor no campo das exposições. No entanto, o pecuarista foi perseverante e tratou os animais o ano todo. Só quem está no campo entende essa dificuldade”, diz Nabih Amin El Aouar, presidente da ACNB.

Com a pandemia obrigou muitos realizadores de exposições a pensarem em novas formas de promover os seus eventos. Foi o que aconteceu com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). Vinte dias após a entidade confirmar a realização da Expozebu 2020 entre 25 de abril a 3 de maio, o evento teve que ser cancelado.

Com a impossibilidade de promover seu principal evento, a entidade teve que correr contra o tempo para buscar uma solução que atendesse às suas necessidades. Foi então que surgiu a iniciativa de promover a Expogenética 360º, o primeiro evento 100% virtual promovido pela entidade.

“Em meio à crise provocada pela pandemia, nós tivemos que nos reinventar e o resultado foi muito positivo com a realização da Expogenética 360º. Foi um saldo maior do que nós esperávamos. Nossa receita por animal cresceu 66% neste evento, por isso, acredito que esse formato virtual para exposições veio para ficar”, diz Rivaldo Machado Borges, presidente da ABCZ.

O dirigente da entidade ressalta que o sucesso do evento desenvolvido dentro de uma plataforma digital pode ser traduzido em números. Segundo Borges, a Expogenética 360o contou com a participação de 90 países, alcançando mais de 1.600 cidades em todo o mundo.

O legado que a feira trouxe para a ABCZ será implementado para a edição de 2021 da Expozebu. De acordo com o presidente da entidade, a intenção neste ano é de que a feira seja promovida em um formato semi presencial.

“A partir da liberação das autoridades sanitárias, nossa ideia é fazer um evento com a participação dos expositores e pecuaristas. Nós já criamos um protocolo para dar segurança aos participantes, onde daremos continuidade em algumas ações virtuais que aconteceram na última Expogenética. Este é um modelo de interação que vai transformar ainda mais o segmento da pecuária”, finaliza.

Fonte: Canal Rural

Imagem: Divulgação