No dia da melancia Goiás comemora liderança nacional de rendimento médio da produção da fruta

Estado ocupa quarta posição entre maiores produtores da fruta no Brasil. Já Uruana está em segundo lugar na comparação com demais municípios que cultivam variedade.

Com mais de 41 toneladas de melancia produzidas por hectare, Goiás ocupa a primeira posição no ranking nacional de rendimento médio da produção da fruta. O Estado detém outros números positivos nessa cadeia, já que é o quarto maior produtor do País, com 11,2% de participação. Entre os municípios, Uruana, no Centro goiano, está na segunda colocação na lista dos que mais produzem melancia no Brasil. Fica atrás apenas de Baraúna, no Rio Grande do Norte, segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Antônio Carlos de Souza Lima Neto, os dados são motivo de comemoração. “Esse destaque tanto na produção quanto produtividade da melancia é importante para Goiás, pois demonstra que temos condições de cultivo e que nossos produtores têm muita competência em implementação de tecnologia, nos tornando referência na cultura”, afirma.

No acumulado do ano, de janeiro a outubro, mais de 20 mil toneladas de melancia foram vendidas no entreposto, sendo que 70,37% das frutas foram cultivadas no Estado de Goiás.

Diante da implementação e acompanhamento de todas as etapas do Sistema de Mitigação de Risco (SMR) da praga Anastrepha grandis nas propriedades rurais, foi possível alcançar importantes resultados.  É o caso da aprovação, por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da ampliação do número de municípios goianos aptos a exportar melancia e abóbora, que agora são 13: Uruana, Carmo do Rio Verde, Itapuranga, Jaraguá, Rio Verde, Santa Helena de Goiás, Maurilândia, Cristalina, Ipameri, Goianésia, São Miguel do Araguaia, Luziânia e Edealina.

De acordo com informações da Agrodefesa, em 2019 eram seis propriedades rurais inscritas no SMR, com cultivo de 216,36 hectares de melancia. Em 2020, o número aumentou para 24 propriedades com área total de 496,82 hectares.

Novos mercados

Apesar de ocupar a segunda colocação no ranking nacional de produção, Uruana continua sendo reconhecida como a ‘capital da melancia’. Em 2019, os agricultores do município foram responsáveis pelo cultivo de 141 mil toneladas da fruta, com rendimento médio de produção de 47 toneladas por hectare. A área colhida foi de 3 mil hectares, segundo dados do IBGE.

A produção do município hoje abastece tanto mercado interno quanto externo. No caso da parte que é vendida dentro do Brasil, a maioria da produção vai para São Paulo. Já além das fronteiras brasileiras, o principal destino da melancia é a América do Sul, como Argentina e Paraguai.

De acordo com a Seapa, reuniões e visitas estão sendo realizadas para discutir a venda de melancia goiana para outros países e alinhar as atividades do Programa de Exportação Estruturada, lançado no final de 2019 pelo Estado.


Ranking nacional de produção

1º - Rio Grande do Norte: 351,99 mil toneladas

2º - Rio Grande do Sul: 318,19 mil toneladas

3º - São Paulo: 260,64 mil toneladas

4º - Goiás: 254,21 mil toneladas

Fonte: IBGE/2019

Números da melancia em Goiás

Quantidade produzida: 254,21 mil toneladas

Área plantada/colhida: 6.190 hectares

Rendimento médio: 41.069 quilos por hectare

Imagem: Divulgação

Fonte:IBGE/2019/ Seapa com adaptações da comunicação do Sistema Faeg/Senar