Kátia Abreu vem a Goiás debater futuro da agropecuária

Anuncio será feito durante abertura da exposição agropecuária de Piranhas. Foto Larissa Melo

Nayara Pereira com informações do Mapa
Com o intuito de discutir temas relevantes para agropecuária como um todo, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu, vem a Goiás no próximo dia 3 de setembro. A cidade escolhida foi Piranhas, onde a também senadora vai participar da abertura da 23° Expoapi, realizada pelo Sindicato Rural (SR) do município. A ministra será recebida pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, que deve apresentar um panorama da atividade em Goiás e debater os principais problemas enfrentados pelo produtor. O evento acontecerá no Parque de Exposição Willian José dos Santos, em Piranhas.

Durante a visita, marcada para às 9 horas, a ministra vai falar sobre as reformulações pelas quais o Mapa está passando e sobre o que deve mudar até o final de sua gestão. Compõem a pauta de discussões temas como crédito rural, assistência técnica, a criação de um ministério sem papel e produção leiteira em Goiás. Além disso, Kátia Abreu vai prestigiar a abertura da 24° Festa do Peão, tradicional em Piranhas.

Entre os assuntos que serão debatidos, a produção de leite ganhará destaque. Visando a melhoria da competitividade do setor lácteo brasileiro, especificamente em Goiás - considerada a quarta maior bacia leiteira do país, Kátia vai anunciar a liberação de cerca de R$ 300 milhões para o Programa de Melhoria da Competitividade do Setor Lácteo Brasileiro. A verba destinada a Goiás, contemplará também os estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, que dará as boas-vindas à ministra, a verba deverá ser investida em assistência técnica, melhoramento genético, promoção comercial, controle e erradicação da brucelose e tuberculose. “Em todo o país, a cadeia produtiva do setor envolve 1,3 milhão de produtores. Só em Goiás produzimos mais de 3,8 bilhões por ano. E por meio dessa verba, reforçaremos a qualidade do nosso produto, a assistência técnica, o melhoramento genético e principalmente a abertura de novos mercados”, destaca.

Os cinco estados que receberão os recursos, respondem por 80% da produção nacional de lácteos. Em Goiás, segundo Schreiner, a produção está presente nos 246 municípios goianos. “Em quase toda propriedade rural a principal atividade vem do leite, acredito que investir em assistência técnica fará com que nosso estado cresça cada vez mais no ranking nacional”.