Estimativa de produção do milho e da soja brasileira aumenta

Nesta quinta-feira (12/05), o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou o seu primeiro relatório de Estimativas de Oferta e Demanda Mundial (WASDE, sigla em inglês) que trouxe suas primeiras projeções para a safra 2022/23. Um dos destaques foi a redução na produção global do cereal que foi estimada em 1.180,72 milhões de toneladas, contra 1.215,62 milhões da safra anterior.


A safra norte americana foi estimada em 367,30 milhões de toneladas, expressando uma queda de 16,64 milhões de toneladas, contra os 383,94 milhões de 2021/22. Em contrapartida, a produção do milho do Brasil foi estimada em 126 milhões de toneladas, acumulando uma alta de 10 milhões frente ao estimado para a safra de 2021/22. Além da alta na produção do cereal, as exportações e os estoques finais também foram jogados para cima, com elevação de 2,5% e 2,80 respectivamente, para a safra 2022/23.

 

A produção mundial de soja foi estimada pelo Departamento em 394,69 milhões de toneladas, um aumento de 43,97 milhões em relação ao estimado para safra 2021/22 (350,72). Para a soja brasileira o cenário é bastante positivo, pois a produção do país foi estimada em 149 milhões de toneladas, expressando uma alta de 24 milhões em relação ao estimado no boletim de abril para a safra anterior. Assim como a produtividade, as exportações também foram jogadas para cima, sendo estimadas em 88,50 milhões de toneladas. Da mesma forma os estoques finais do país também subiram para 30,51 milhões de toneladas.

 

Comunicação Sistema Faeg/Ifag