Goiânia em 1º lugar no ranking nacional de inscritos no curso Técnico em Agronegócio

PostagemEm Goiás, foram 1910 inscritos, que concorrem a 170 vagas distribuídas em cinco polos. Em todo o país, o número de inscrições somou 14.439 em 57 polos


Com 912 inscritos, Goiânia conquistou o primeiro lugar no ranking nacional de inscrições no curso Técnico em Agronegócio, realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). São 22,8 candidatos por vaga. É a primeira vez que a capital goiana oferece vagas para o curso – sendo total de 40 para o segundo semestre de 2017. O município de Rio Verde somou 322 inscrições, resultando em 10,7 candidatos por vaga, e ocupando o 6º lugar no ranking nacional. Três outros polos goianos – Cristalina, Itumbiara e Alexânia – também oferecem vagas gratuitas e somaram, cada um, mais de 5 candidatos por vaga. Em todo o país são 57 polos, que somam 2.055 vagas disponíveis. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 21, pelo Senar Central. No estado, os cursos são desenvolvidos pelo Senar Goiás.


O curso Técnico em Agronegócio é gratuito e o candidato precisa ter concluído o ensino médio. A proposta do curso é formar profissionais habilitados na aplicação de procedimentos de gestão e de comercialização do agronegócio, visando os diferentes segmentos e cadeias produtivas da agropecuária brasileira. É desenvolvido através do programa Rede e-Tec Brasil no Senar, com carga horária total de 1.230 horas, distribuídas em dois anos – quatro semestres – no formato semipresencial, ou seja, 80% da carga horária a distância e 20% presencial no polo. Ao final do curso, o aluno recebe diploma reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia. 


Segundo o gerente de Educação Formal do Senar Goiás, Fernando Couto, é uma boa oportunidade para quem busca atuar no setor que mais gera emprego no país. “O curso visa contribuir com a formação e a profissionalização das pessoas do meio rural e, consequentemente, aumentar a rentabilidade dos seus negócios e garantir a sustentabilidade do meio ambiente. A procura pelos cursos é extremamente positiva. Uma grande vantagem para quem faz o curso técnico é conseguir chegar no mercado de trabalho mais cedo”, esclarece.


Para Couto, o mercado está aberto aos profissionais que possuem conhecimento técnico, um perfil valorizado e em falta no país. “O profissional poderá trabalhar em propriedades rurais, empresas de pesquisa e fomento, indústrias, federações, associações, sindicatos, além de adquirir conhecimento para administrar o próprio negócio”, ressalta. 


Metodologia

O curso técnico em agronegócio é oferecido pelo Senar Central, em parceria com Senar Goiás, e realizado pelo programa Rede e-Tec do Ministério da Educação (MEC). A capacitação é destinada especialmente aos produtores rurais, seus familiares ou qualquer pessoa que tenha interesse em atuar com o agronegócio. Desde 2015, o Senar Goiás formou 13 turmas do curso técnico em agronegócio no estado de Goiás. Segundo Fernando Couto, a quantidade de vagas disponibilizadas no Estado a cada processo seletivo, é de acordo com a oferta e gestão do MEC.


Quantidade de vagas em Goiás

Polo de Goiânia – 40 vagas / 912 inscritos, com 22,8 candidatos por vaga

Polo de Rio Verde – 30 vagas / 322 inscritos, com 10,7 candidatos por vaga

Polo de Cristalina – 30 vagas / 234 inscritos, com 7,8 candidatos por vaga

Polo de Itumbiara – 30 vagas / 206 inscritos, com 6,9 candidatos por vaga

Polo de Alexânia – 40 vagas / 236 inscritos, com 5,9 candidatos por vaga


Texto: Fernando Dantas e Francis Telles

Fotos: