CNA levanta custos de produção do frango de corte em Goiás

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou, na terça (11), um painel virtual para analisar os custos de produção de frango de corte no sistema de integração com produtores de Rio Verde (GO), como parte do projeto Campo Futuro.

Os encontros online têm por objetivo seguir as recomendações de segurança para evitar o contágio do coronavírus. Além de produtores, participaram representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Feag), Sindicato Rural de Rio Verde, Labor Rural e Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Segundo o levantamento, o modal da região é o alojamento com 100% de animais machos, pressão negativo, dark house, com 4 galpões de 1600 m2 cada. No local são alojadas mais de 89 mil aves por núcleo a cada lote. O tamanho da propriedade é de aproximadamente 3,5 hectares.

O resultado preliminar do painel mostrou que a atividade na região consegue ser atrativa no curto prazo, com o produtor conseguindo arcar com as despesas referentes aos desembolsos anuais com insumos, por exemplo, além das despesas totais referentes aos custos operacionais efetivos da atividade.

No entanto, a receita gerada não é suficiente para arcar com os custos inerentes à depreciação de máquinas, equipamentos e instalações e o pro labore do produtor, o que indica dificuldades de manutenção no médio prazo.

"A dificuldade da atividade se mostrar viável no médio e no longo prazo é um dos desafios encontrados na região, principalmente pelo volume de capital investido pelos produtores e as oscilações de mercado que afetam a receita do avicultor", explica a assessora técnica da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Ana Lígia Lenat.

Imagem: Divulgação

Assessoria de Comunicação CNA/SENAR