AJUDA
O seu próximo passo no campo goiano começa agora! Conheça todas as possibilidades que o Sistema FAEG oferece a você:

Fórum vai divulgar ações do Plano Estratégico de retirada da vacina contra febre aftosa em 2021

Imagem

Será realizado na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), no dia 10 de maio, o I Fórum para Divulgação do Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa - PNEFA. O objetivo é divulgar as ações para a retirada da vacinação contra a febre aftosa em 2021, conforme preconiza o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa, para tornar o Brasil livre de febre aftosa sem vacinação com reconhecimento internacional.

O anúncio foi feito durante a primeira reunião oficial de 2019 do Grupo Gestor do Plano Estratégico 2017-2026 do PNEFA em Goiás, integrado por dirigentes e representantes do Sistema Faeg/Senar ; Agência Goiana de Defesa Agropecuária - Agrodefesa; Superintendência Federal da Agricultura em Goiás - SFA-GO; Fundo para o Desenvolvimento da Pecuária em Goiás - Fudepec-Goiás; Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Seapa-Goiás e Emater-Goiás. O evento destina-se a produtores rurais, lideranças sindicais, associações, técnicos, acadêmicos de áreas afins, representantes de revendas de medicamentos, órgãos públicos, indústrias frigoríficas e empresas leiloeiras.

Cautela

Ao abrir a reunião, o deputado federal e presidente do Sistema Faeg/Senar, José Mário Schreiner observou que a retirada da vacinação do rebanho bovino e bubalino contra a febre aftosa é um passo importante que o Brasil irá dar e por isso mesmo será necessário muita cautela tanto na fase preparativa (que antecede a retirada) quanto no acompanhamento após a medida. "A união de esforços entre os todos os órgãos e entidades envolvidas, tanto do setor público quanto da iniciativa privada será fundamental para o sucesso desta ação. A informação e conscientização dos pecuaristas são pontos muito relevantes", ressaltou José Mário. O presidente da Agrodefesa, José Essado Neto, manifestou posição semelhante, reforçando que os produtores terão de redobrar o cuidado com seus rebanhos e ter plena confiança nos órgãos de defesa sanitária para comunicar quaisquer suspeitas de aftosa que possam surgir.

O diretor do Fundepec, Uacir Bernardes, salientou que é preciso organizar e fortalecer as estruturas necessárias para garantir as condições para retirada da vacina, o que inclui a viabilidade de meios financeiros para indenizar produtores em caso de abate de animais afetados pela aftosa. Também presente na reunião de hoje, o diretor institucional do Senar-Goiás, Antônio Flávio Camilo de Lima, disse ser fundamental que todos os órgãos e entidades envolvidos no processo participem efetivamente das ações, em especial na divulgação e conscientização dos produtores para a retirada da vacina em 2021. Conforme disse, é preciso que fique claro como é a ação dos órgãos de defesa sanitária hoje, com a vacinação, e como será após a retirada da vacina. Já o superintende Federal da Agricultura em Goiás, José Eduardo de França, ponderou que é preciso regionalizar as informações, isto é, mobilizar os pecuaristas nas diversas regiões do Estado, para que todos recebam informações corretas do processo de suspensão da vacina a partir de 2021.

Outros temas

Vários outros temas foram tratados no encontro, tais como a consolidação e fortalecimento do Grupo Gestor Estadual para o Desenvolvimento de Ações no âmbito do Plano Estratégico do PNEFA, que terá nova composição representativa, com substituição de alguns integrantes e suplentes, em função das mudanças ocorridas no Governo Estadual. E ainda ações para o aprimoramento e reestruturação do Sistema de Defesa Agropecuário; fortalecimento das parcerias público-privadas como forma de ampliar a participação comunitária no processo decisório e nas ações de prevenção da febre aftosa em todo o País, para garantir sustentação técnica, política e financeira das atividades do programa e fortalecimento das medidas de prevenção e redução das vulnerabilidades para a febre aftosa no País.

Na reunião estiveram presentes também a analista do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag) Christiane Rossi, o representante da Faeg junto ao Grupo de Saúde Animal da Confederação Nacional da Agricultura, Antônio da Silva Pinto, o chefe do Serviço de Fiscalização de Insumos e Saúde Animal da SFA, Luiz Antônio Danin; a responsável pelo Programa Nacional de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa da SFA-Goiás, Cecília Paula Dezan; além do presidente José Essado Neto, participaram também o assessor da Diretoria Técnica e de Inspeção, Ramon Rizzo Velasques e o gerente de Sanidade Animal em exercício, Luiz Fernando Bastos Mendes.

Informações : Agrodefesa

Comunicação Sistema Faeg/Senar



Áreas de atuação

Veja também

Festa

Notícia

Festa de sabores que dura o ano todo

Soja

Notícia

Soja e milho sofreram pequenas variações na produção na Safra 23/24

Prazo

Notícia

Prazo de vacinação contra brucelose é ampliado até outubro

Imagem