AJUDA
O seu próximo passo no campo goiano começa agora! Conheça todas as possibilidades que o Sistema FAEG oferece a você:

Goiás deve colher safra de milho 19,5% maior

Imagem

A Conab divulgou na manhã desta terça-feira , (12), o 5° levantamento da safra brasileira 2018/19. De acordo com a divulgação, o Brasil deve colher 234,1 milhões de toneladas de cereais, fibras e oleaginosas, crescimento deve ser de 6,5 milhões de t, o que representa um volume 2,8% superior, em relação a safra passada. O incremento de 910,5 mil hectares, ou 1,5% a mais em relação com a safra 2017/18, totalizando uma área plantada de 62,6 milhões de hectares.

A colheita de milho poderá alcançar no cenário nacional uma produção de 91,7 milhões de toneladas, 13,6% a mais que em 2017/18.

A estimativa de boa safra de milho traz tranquilidade para toda a cadeia produtiva que depender do cereal no insumo da sua produção, como a avicultura e a suinocultura.

Já a soja deve registrar uma redução produtiva de 3,3%, atingindo 115,3 milhões de toneladas, porém com um aumento na área de 1,9%. O fator responsável é a redução da produtividade, ocasionada por adversidades climáticas em alguns estados.

A redução da safra da oleaginosa pode trazer correções de preço, primacialmente se estas perdas produtivas forem entendidas como expressivas no mercado de formação de preço.

Para Goiás, a Conab reduziu a safra de soja em 6,2%. Assim o estado deve colher 11,1 milhões de toneladas. Estes números refletem os dois períodos de estiagem pelo qual Goiás passou, que causou, de acordo com a companhia, encolhimento da produtividade de 8,6%.

Para o milho a situação é inversa, somando a 1° e a 2° safra, Goiás deve colher 19,5% a mais que na safra passada, devido o crescimento de área (3,5%) e rendimento (15,5%). Tal resultado é fruto da 2° safra que deve registrar bons resultados positivos.

Por fim o relatório destacou a redução de mais de 250 mil toneladas na produção brasileira de feijão 1° safra. Em Goiás esta redução atinge aproximadamente 60 milhões de toneladas na primeira safra. Com isso, podemos esperar preços elevados para o feijão até a colheita da segunda safra de grãos.

Texto: Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás

Imagem: Divulgação

Fonte: Conab

Comunicação Sistema Faeg/ Senar

Áreas de atuação

Veja também

Festa

Notícia

Festa de sabores que dura o ano todo

Soja

Notícia

Soja e milho sofreram pequenas variações na produção na Safra 23/24

Prazo

Notícia

Prazo de vacinação contra brucelose é ampliado até outubro

Imagem