AJUDA
O seu próximo passo no campo goiano começa agora! Conheça todas as possibilidades que o Sistema FAEG oferece a você:

Tendências e Oportunidades para a Comunicação no Agro

Imagem

O agronegócio é uma riqueza do Brasil e possui sua importância. Ele precisa ser comunicado de forma efetiva, técnica, de maneira compreensível e com o olhar no dia a dia. Por trás de histórias, dados, números, existem pessoas que trabalham de sol a sol para levar comida ao prato de toda a população brasileira. Assim como por trás de computadores, microfones, blocos, gravadores existem comunicadores que fazem da profissão um serviço à sociedade com informação de qualidade. Para ressaltar ainda mais o papel da comunicação, o Sistema Faeg Senar realizou um encontro com comunicadores, em 07 de março, no auditório da Faeg, com o objetivo de discutir as tendências e oportunidades para a comunicação no Agro.

Para abrilhantar o encontro, o jornalista José Hamilton Ribeiro, vencedor de sete prêmios “Esso de Jornalismo”, autor de livros, referência em matérias sobre agropecuária, palestrou sobre suas experiências de quarenta anos em coberturas no campo. “O agronegócio pode fortalecer o jornalismo, sobretudo o sério, profissional, se cuidar bem de suas escolhas nessa área,” afirma Ribeiro. “É preciso ter em mente que a reportagem, ou história só tem verdade e emoção com bons personagens e isso o agro tem de sobra”, conclui José Hamilton.

Para o diretor técnico e de comunicação do Senar Goiás, Marcelo Lessa, é necessário mostrar as potencialidades do Agro. “O agro é importante também para a economia do Brasil, do nosso Estado. Trata de empregabilidade, questões ambientais. O produtor é um dos maiores responsáveis pela preservação do meio ambiente,” destaca.

O Presidente do Sistema Faeg Senar, deputado federal José Mário Schreiner destaca que a proposta de reunir os jornalistas na casa do produtor rural tem a finalidade de construir uma ponte entre o setor e os formadores de opinião, que terão a oportunidade de conhecer o agro e seus impactos de forma real. “ Ainda hoje a gente vê muita desinformação entre a sociedade, para dar um exemplo desse modelo, ano passado houve críticas infundadas em relação a liberação de novos registros de defensivos, só que não falam que mais de mais 95% dos registros eram de genéricos, que já estavam no mercado e precisavam ser readequados para baixar custo do produto. Essas informações distorcidas comprometem a imagem do setor e do País, por isso é importante o jornalista trabalhar com dados e combater essas deformidades” conclui José Mário.






Os comunicadores presentes tiveram a oportunidade de entender melhor o universo agro durante a palesta do coordenador técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária em Goiás, Alexandro Santos. “ Os dados são observações documentadas e o que proponho a vocês é uma momento de reflexão sobre dos dados de produção sustentável, defensivos agrícolas, tendência de consumo, inovação no campo e qualificação profissional. Por exemplo, nós vemos muitas informações dizendo que a agropecuária é que mais gasta água em todas as atividades. Mas os dados mostram que a agricultura não gasta água, ela usa a água, sendo que a legislação de uso é rigorosa e o produtor que não se adequa é multado”, ressalta Alexandro.

Fernando Barros, jornalista ambiental e gestor executivo do Instituto Fórum do Futuro destacou a importância de Goiás no contexto histórico para o desenvolvimento da agropecuária nacional. “ A base de tudo que mantem o fortalecimento do agro no Brasil é a pesquisa, para se ter uma ideia, na década de 80 o produtor secava arroz nas ruas de Rio Verde e foi a pesquisa desenvolvida em regiões como Goiás e Mato Grosso que modernizou o agro em todo País”, argumenta Barros.









“O Brasil é do agro,” diz jornalista

A jornalista Letícia Assis Mendanha é nova na área, mas cresceu vendo José Hamilton. “Quando falamos em agro ele é referência. No evento acompanhamos como o jornalista enxerga o Brasil de antes e como está agora. Para mim foi fundamental a participação no Encontro para visualizar o que vem pelo futuro e o que podemos esperar para os próximos anos no agro,” relata. Sempre atenta aos assuntos do campo ficou sabendo do evento pelo setor de comunicação do Sistema Faeg Senar.

“Atendo a empresa Capital White que tem muitos investidores e quero estar por dentro das questões do agro para produzir conteúdo, tanto para as ações de marketing, comunicação com a imprensa e colaboradores,” frisa.

O editor, escritor e jornalista, Marcus Vinícius Beck conheceu José Hamilton Ribeiro a partir de leituras realizadas para fazer seu primeiro – livro-reportagem. “Considero-o um dos melhores repórteres que já passou pela imprensa brasileira, dono de um texto elegante, refinado, que parecia um conto em forma de reportagem. É um mestre e as reportagens dele da época da revista Realidade até hoje são cultuadas,” ressalta. “O José Hamilton vivenciou momentos chaves da história no século 20. Sua presença em Goiânia é extremamente interessante porque sempre atrás das histórias dele tem um viés humano,” destaca o jornalista. Para ele que desconhece alguns assuntos do segmento, a oportunidade é boa para refletir e repensar algumas questões.

Os comunicadores presentes tiveram contato com dados relevantes que desmistificam algumas ideologias contrárias a produção agrícola com o palestrante Alexandro Santos, Coodenador técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária em Goiás. “

Parcerias

O secretário de Estado e Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, enfatiza a importância da comunicação e o bom relacionamento com os profissionais da imprensa para trabalhar informações corretas sobre a agropecuária. “É toda uma cadeia que impacta positivamente a sociedade: na produção de alimentos, na agroindústria, no desenvolvimento social. Precisamos ressaltar sempre essa questão, mostrar que o Agro tem boas histórias e que podem ser contadas de diversas maneiras,” esclarece.

Outra parceria do Encontro é da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). O presidente da Emater, Pedro Leonardo de Paula Rezende declara que “por meio da aproximação com os meios de comunicação o setor público tem a oportunidade de fazer uma prestação de conta para a sociedade a respeito dos trabalhos conduzidos e de como podemos contribuir com o desenvolvimento de Goiás por meio de nossas ações”. Ele complementa que a atividade é uma maneira de conscientizar tanto a sociedade quanto os produtores do setor e das cadeias produtivas, sobre a importância do Agro para o desenvolvimento econômico-social do Estado e do País.

Comunicação Sistema Faeg

Fotos: Carolina Santana e Fredox Carvalho


Áreas de atuação

Veja também

Condições

Notícia

Condições climáticas e menor demanda influenciam os preços Hortigranjeiros

Produtor

Caso de Sucesso

Produtor de hortaliças hidropônicas, que tinha desistido do cultivo, retoma a atividade produzindo cinco vezes mais com a ajuda da ATeG do Senar Goiás

Mercado

Notícia

Mercado de aluguel de máquinas agrícolas apresenta boas opções para pequenos e médios produtores

Imagem