AJUDA
O seu próximo passo no campo goiano começa agora! Conheça todas as possibilidades que o Sistema FAEG oferece a você:

Expandindo horizontes com a ATeG do Senar Goiás

São mais de 6.765 técnicos de campo, profissionais selecionados, treinados e constantemente capacitados em 31 cadeias produtivas, para atender os produtores rurais

Com um atendimento personalizado, gratuito e metodologia própria, a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) ultrapassou a marca de quatro milhões de visitas técnicas em mais de 334,6 mil propriedades rurais em todo país. Lançada em 2013, a ATeG faz parte de um amplo portfólio do Senar para melhorar a produtividade, a gestão e a renda no campo.

Os produtores são acompanhados periodicamente pelo técnico de campo durante 24 meses, tempo mínimo necessário para avaliar os resultados da aplicação da metodologia a partir de um diagnóstico produtivo e individualizado.

Em Goiás, os números vêm crescendo ano após ano, chegando a mais de 11 mil produtores assistidos gratuitamente em 2023. O superintendente do Senar Goiás, Dirceu Borges, em entrevista à Revista Campo explica sobre a atuação no campo do projeto que vem mudando a mentalidade dos produtores rurais. A ATeG proporciona o entendimento da propriedade rural como uma empresa obtendo lucro na atividade rural, além de produzir mais e melhor com sustentabilidade. Confira!

1 Como é desenvolvida a metodologia da ATeG do Senar Goiás?

É um ciclo completo que começa com a mobilização dos produtores rurais, no qual eles são introduzidos ao programa e suas vantagens. Após isso, temos cinco etapas principais. A primeira é o diagnóstico produtivo individualizado (DPI), fase inicial no qual fazemos um levantamento detalhado das condições atuais da propriedade. Analisamos as práticas agrícolas existentes, a infraestrutura, e outros fatores críticos que influenciam a produção. Depois, vem a etapa de planejamento estratégico. Com base nos dados coletados durante o DPI, elaboramos um planejamento estratégico que define os objetivos específicos para a propriedade. Este plano inclui metas de curto e longo prazo com foco em melhorias sustentáveis. Em terceiro, podemos citar a adequação tecnológica, que é uma etapa na qual implementamos as tecnologias e práticas recomendadas no planejamento estratégico. Isso pode incluir desde a introdução de novas técnicas de cultivo até o uso de tecnologias avançadas para aumentar a eficiência e a produção. Já em quarto está a fase de capacitação profissional complementar, que é a formação contínua fundamental. Oferecemos treinamentos específicos para os produtores e seus trabalhadores para garantir que eles possam gerir suas operações de forma mais eficaz e adotar novas tecnologias com sucesso. E por último, avaliação sistemática de resultados: avaliamos os resultados alcançados em comparação com os objetivos estabelecidos no início do ciclo. Esta revisão permite identificar sucessos, desafios e áreas para ajustes futuros.

2 E como essa metodologia impacta diretamente os produtores?

O impacto é significativo. Ao final do ciclo, os produtores têm uma operação mais eficiente, são mais capacitados em práticas agrícolas modernas e sustentáveis, e muitas vezes, veem um aumento direto na sua produção e renda. Além disso, a melhoria contínua assegura que eles estão preparados para enfrentar desafios futuros na agricultura.

3 Parece um programa bastante abrangente. Quais são os planos futuros para a ATeG no Senar Goiás?

Nosso objetivo é continuar a expandir o alcance da ATeG, incorporando mais propriedades e diversificando ainda mais as cadeias produtivas atendidas. Queremos também integrar mais tecnologias de ponta para garantir que os produtores rurais de Goiás estejam na vanguarda da inovação agropecuária.

4 Quem são os agentes principais envolvidos nesse processo?

Temos uma equipe formada por técnicos de campo, que são o primeiro contato com os produtores e ainda supervisores, coordenadores e os sindicatos rurais que garantem a qualidade técnica das intervenções conectar as necessidades dos produtores com nossos serviços, dando total apoio em todo processo.

5 Pode nos falar sobre os encontros com os produtores assistidos?

Os encontros são essenciais para a troca de experiências e revisão das práticas adotadas. Eles permitem não só compartilhar sucessos e desafios, mas também ajustar estratégias e introduzir novas soluções diretamente com os produtores. Além da mostra de resultados alcançados, também é um momento de difusão de conhecimento, tecnologia e mobilização de novos produtores.

6 Quais cadeias produtivas o Senar Goiás atende através da ATeG?

Atendemos uma ampla gama de cadeias, como horticultura, fruticultura, grãos, pecuária de corte e leite, apicultura, piscicultura, agroindústria, avicultura, ovinocaprinocultura e silvicultura. Cada uma recebe abordagens específicas adaptadas para maximizar sua produtividade e sustentabilidade.

7 Observamos um crescimento notável no número de produtores assistidos entre 2021 e 2024. Poderia detalhar esses números?

Com certeza! No nosso primeiro ano completo de ATeG, foram 1.041 produtores em 2017. Em 2021, eram 4.466 produtores, no ano seguinte atingimos mais de 7 mil, em 2023, alcançamos 11.495 produtores assistidos e seguimos no mesmo ritmo de crescimento em 2024. Isso mostra nosso compromisso e eficácia em expandir nosso alcance e melhorar continuamente nossos serviços.

8 O que esses números revelam sobre o impacto da ATeG?

Os números da Assistência Técnica e Gerencial refletem nossa capacidade de expandir o alcance dos nossos serviços e melhorar significativamente a eficiência e eficácia das práticas agrícolas entre os produtores de Goiás. A ATeG está realmente transformando a agricultura na região.

9 Hoje existem diversos casos de sucesso de produtores em todo o estado que tiveram a vida transformada através da assistência técnica. Poderia detalhar um caso e explicar como a ATeG contribuiu para tal sucesso?

Entre tantos casos certamente um que podemos citar é o do produtor Joarez Pereira de Oliveira Filho, que ampliou sua renda em mais de 800% com a diversificação de produtos e a adoção de novas tecnologias. Esse caso é um excelente exemplo do impacto positivo da nossa metodologia ATeG. Joarez, um jovem produtor de São Luís de Montes Belos, inicialmente trabalhava em uma área de apenas mil metros quadrados, focando na produção de hortaliças folhosas. Ele enfrentava diversos desafios, como a falta de maquinário, métodos de cultivo primitivos e ausência de gestão econômica, resultando em uma renda bruta mensal de apenas R$ 2 mil e uma margem líquida negativa. Com a intervenção da ATeG, iniciamos uma transformação abrangente em sua propriedade. Diversificamos a gama de cultivos para incluir rabanete, abóbora e repolho, além das folhosas. Adotamos o uso de sementes de alta qualidade e implementamos técnicas de cobertura de solo com filme plástico, conhecido como mulching, que ajudou a controlar plantas daninhas e a manter a umidade e temperatura do solo, elevando significativamente a qualidade dos produtos.

10 Como essas mudanças refletem o potencial da ATeG para outros produtores rurais?

O caso de Joarez é um exemplo do que é possível quando combinamos assistência técnica focada com gerenciamento eficaz e adoção de tecnologia. Mostra que, com o suporte certo e a disposição para inovar, os produtores podem transformar suas operações de maneiras que beneficiam não apenas suas famílias, mas toda a comunidade. Estamos comprometidos em replicar esse sucesso em toda a região, mostrando que a sustentabilidade e a produtividade podem andar de mãos dadas.

11 Que outras melhorias foram implementadas para alcançar esses resultados notáveis?

Além das mudanças nas práticas de cultivo, a ATeG introduziu uma gestão econômica rigorosa. Joarez começou a fazer uso de ferramentas de gestão financeira que permitiram um planejamento eficaz e controle de custos. A preparação das próprias mudas e a introdução de técnicas de irrigação e rega mais eficientes transformaram completamente sua operação. Como resultado dessas inovações e do suporte contínuo, Joarez expandiu sua área de cultivo para 10 mil metros quadrados e sua margem líquida mensal cresceu impressionantemente para R$ 6.111,88. Isso representa um aumento de renda superior a 800%, uma verdadeira transformação na vida e na sustentabilidade econômica de sua família.

12 Quais são os planos para o futuro da ATeG no Senar Goiás?

Planejamos continuar a expandir nosso alcance, melhorar nossos métodos e integrar tecnologias avançadas para garantir que cada produtor rural em Goiás receba o melhor suporte possível. Uma das ações que entendemos que é fundamental para ter ainda mais eficiência nesse processo foi a criação da Academia de Formação Senar.

13 Para finalizar, como você vê o futuro da agricultura goiana com o apoio da ATeG?

Vejo um futuro muito promissor para a agropecuária goiana com o suporte da ATeG. Estamos no caminho certo para tornar a agricultura mais produtiva, sustentável e rentável, beneficiando não só os produtores, mas toda a economia regional.

Conteúdo publicado também na Revista Campo. Acesse mais matérias no site: https://sistemafaeg.com.br/ace...

Áreas de atuação

Veja também

Curso

Notícia

Curso de produção de ovos do Senar Goiás oferece novas possibilidades de renda com avicultura

Do

Desafio AgroStartup 2024

Do Campo ao Futuro: Soluções Inovadoras emergindo no AgroStartup 2024

Há

Notícia

Há 16 anos o Senar Goiás leva qualidade de vida para a família rural com o Campo Saúde

Imagem